Carta de Beethoven para sua Amada Imortal

 Após a morte do gênio em 1827, seu assistente, Anton Schindler, encontrou uma carta de amor guardada entre os pertences do compositor. Em 1840, Schindler publicou uma biografia sobre Beethoven e divulgou o material. Somente o dia e o mês estão registrados na carta. O local em que a carta foi escrita e o nome da destinatária – identificada na carta como “Amada Imortal” – não aparecem. A história inspirou o filme “Minha Amada Imortal”, de 1995.

Em 1880, a carta foi comprada pela Biblioteca Estatal de Berlim, onde permanece até hoje.

Essas cartas rendeu o filme Minha Amada Imortal, 1994, dirigido por Bernard Rose, em que Beethoven, ao morrer, deixar tudo para a sua Amada Imortal sem dizer quem ela seria. O escritor brasileiro Marcos R. Menezes aborda o tema em seu livro A Gruta – Memórias da Amada Imortal, Pró-libera, 2008. No livro, é tratada a curiosidade sobre quem seria a Amada Imortal citada nas cartas, a dama na capa do livro é a Luise Lichtenberg, a foto foi encontrada numa gaveta secreta da escrivaninha de Beethoven, e hoje está sob os cuidados nos arquivos da Beethoven-Haus, em Bonn, Alemanha, Luise vem sendo considerada como a possível Amada Imortal de Ludwig.

Cartas que nunca foram enviadas, nem se sabe quem era a sua Amada Imortal. Afirmam, entretanto, que as cartas feitas por Beethoven expressam o que há de mais puro no amor, falam das saudades de se amar à distância, e dos desejos de se unir de maneira indistinguível à pessoa que se ama. Não economizando nas palavras, fazendo uma verdadeira poesia em prosa, Beethoven nos transporta para dentro de um amor sem reservas, um amor vivido na distância, mas que prevalece forte, sendo algo para além da vida, divino.




 Meu anjo, meu tudo, meu próprio ser 

Hoje apenas algumas palavras à caneta (à tua caneta). Só amanhã os meus alugueres estarão definidos – que desperdício de tempo… Por que sinto essa tristeza profunda se é a necessidade quem manda? Pode o teu amor resistir a todo sacrifício embora não exijamos tudo um do outro? Podes tu mudar o fato de que és completamente minha e eu completamente teu? 

Oh Deus! Olha para as belezas da natureza e conforta o teu coração. 
O amor exige tudo, assim sou como tu, e tu és comigo. Mas esqueces-te tão facilmente que eu vivo por ti e por mim. Se estivéssemos completamente unidos, tu sentirias essa dor assim como eu a sinto. […] 
Nós provavelmente devemos nos ver em breve, entretanto, hoje eu não posso dividir contigo os pensamentos que tive nos últimos dias sobre minha própria vida – Se os nossos corações estivessem sempre juntos, eu não teria nenhum… O meu coração está cheio de coisas que eu gostaria de te dizer – ah – há momentos em que sinto que esse discurso é tão vazio – Alegra-te – Lembra-te da minha verdade, o meu único tesouro, o meu tudo como eu sou o teu. Os deuses devem-nos mandar paz… 

Teu fiel Ludwig”


-------------------------------------------------------------------------------------------- 

Boa noite, segunda-feira, 6 de julho

Você está sofrendo, minha querida criatura - só agora eu aprendi que as cartas devem ser postadas muito cedo pela manhã de segundas a quintas-feiras - os únicos dias em que o treinador de correio vai daqui até K. - você está sofrendo - Ah, Onde quer que eu esteja, você também está - Eu vou providenciar com você e eu que eu posso viver com você. Que vida!!! portanto!!! Sem você - perseguido pela bondade da humanidade aqui e aí - o que eu pouco desejo merecer como eu mereço - Humildade do homem em relação ao homem - dói - e quando me considero em relação ao universo, O que sou eu e o que é Ele - a quem chamamos de maior - e ainda - aqui está o divino no homem - eu choro quando eu refleto que você provavelmente não receberá o primeiro relatório de mim até sábado - Muito como você me ama - eu Amo você mais - Mas nunca se esconda de mim - boa noite - Enquanto estou tomando banho eu devo ir para a cama - Oh Deus - tão perto! tão longe! Nosso amor não é verdadeiramente uma estrutura celestial, e também tão firme como a abóbada do céu?

-------------------------------------------------------------------------------------------



Bom dia, em 7 de julho de 1812

Embora ainda esteja na cama, os meus pensamentos vão até você, minha Amada Imortal, agora felizes, depois tristes, esperando para saber se o destino nos ouvirá ou não. Eu só posso viver completo contigo, ou não viver. Sim, estou decidido a vaguear assim por muito tempo longe de você até que possa voar para os seus braços e dizer que estou em casa, e poder enviar a minha alma envolta em você ao reino dos espíritos. Sim, isto deve ser tão infeliz. 
Você será mais contida quando souber da minha fidelidade a você. 
Outra jamais poderá ter o meu coração, nunca, nunca, Oh, Deus! Por que um precisa estar separado do outro quando se ama. E, no entanto, a minha vida em Viena é agora uma vida miserável. 
O teu amor me faz ao mesmo tempo o mais feliz e infeliz dos homens. Na minha idade eu preciso de estabilidade, de uma vida tranquila. Pode ser assim na nossa relação? 
Meu anjo, acabo de ser informado que o carteiro sai todos os dias. Por isso devo terminar logo para que você possa receber a carta logo. Fique tranquila, somente através da consideração tranquila de nossa existência podemos atingir o objetivo de vivermos juntos. 
Fique tranquila, me ame, hoje, ontem, desejos sofridos por você, você, você, minha vida, meu tudo, adeus. Oh, continue a me amar, jamais duvide do coração fiel de seu amado.

L

Sempre teu,
Sempre minha,
Sempre nosso.


Se essa Amada Imortal de fato existiu, várias outras cartas Ludwig enviou para ela que nunca saberemos o conteúdo, mas podemos imaginar que são assim: carregadas de um amor quase palpável, inebriante.


Fontes de referências