O dia que me tornei invisível...

Algumas semanas atrás me enviaram um texto que fui às lágrimas enquanto lia. Mês de julho é um mês de muitas lembranças e saudades pra mim, as vezes minha sensibilidade não da conta. Esse texto não é só triste, mas relata sim, uma realidade, verdade esta, que acontece muito por ai... Muitas pessoas esquecem-se dos seus entes queridos depois que eles chegam a uma certa idade. Não são mais notados, vivem como se não existissem... Muitos são deixados pela família em abrigos, esquecidos nos hospitais, mandados para lares, a maioria dos idosos não recebe visitas nem mesmo nas datas mais importantes e especiais, como o Dia do Pai/ da Mãe, aniversários, Natal, Páscoa ou no dia do idoso. Há histórias de vida verdadeiramente tristes! Histórias de quem tanto deu à sociedade e que, agora, se depara com um resto de vida de quase clausura, ou seja, fechados e afastados do mundo. Cada vez aumenta mais o n° de pessoas e familiares que se tornam invisíveis ainda estando vivos. Após suas mortes, honras e glórias, dores e saudades. Mas, e o que fazem em vida para celebrar e agradecer o presente de os terem consigo? A expressão "uma mãe é para mil filhos, mas mil filhos não são para uma mãe" parece exagero, mas quando observamos o abandono afetivo que se instalou dentro de muitas famílias essa triste realidade se torna cada vez mais presente.

A rejeição mais devastadora vem sempre daqueles que mais amamos... 

Na semana passada eu lia uma matéria que dizia que todas as pessoas, em algum momento da vida, já foram rejeitadas um dia: Talvez quando criança pelo pais, ou por coleguinha na escola, na adolescência como no namoro que não deu certo; no grupo de pessoas em que não se sentiu aceito; no trabalho; entre tantos outros. Segundo os especialistas, a pessoa com a dor da rejeição sente-se ansiosa, fica doente, magoada, ofendida ou com raiva de si ou do outro. Ainda que esse processo seja doloroso para todos, alguns conseguem superar esse fato com maior facilidade, outros sentem dificuldade e algumas vezes por não conseguir lidar com isso acabam se fechando para a vida. Isso ocorre muito com os idosos que são rejeitados e abandonados pela sociedade e principalmente pela própria família, ou melhor, dizendo, pelos próprios filhos, as mesmas pessoas que os deveriam protegê-los. A dor causada pela rejeição talvez seja um dos sentimentos mais difíceis de ser superado, creio que não há uma resolução rápida, prática e pontual que possa dar conta dessa sensação. Fase da vida, que muitos se depara com situações delicadas, como as perdas, afastamento de pessoas queridas, doenças, perda do corpo jovem e da independência, entre outros. Isso faz com que a pessoa passe a ter menos condições de realizar atividades ou ações cotidianas com a mesma desenvoltura de antes. Nesse momento, a família, o Estado e a sociedade é que devem amparar com todo o carinho possível. Infelizmente, não é isso que é verificado na prática. Exemplos de desrespeitos aos idosos são inumeráveis. Muitos de nós quem sabe, talvez um dia possa até ficar invisíveis também, não pela família, mais pela sociedade. No fundo todos nós gostaríamos de ficar jovens para sempre, mas infelizmente não é possível. A passagem do tempo tem seus efeitos sobre todos nós, não tem como escapar. Uma viagem sem volta! Aquele que já foi um jovem menino logo logo se tornará um idoso gentil. Assim como aquela linda menina logo logo se tornará uma bela e gentil idosa.

Amadurecimento e aprendizado, são os presentes que a vida dá a todos que têm o privilégio de envelhecer... Que amemos uns aos outros, assim como o MESTRE JESUS nos ensinou. Um dia, todos, sem exceção irão estar nesse mesmo lugar...

Cada dia que passa, um dia a menos de vida e um dia a mais vivido. Algo pra se pensar e refletir!

Estudos apontam Suíça como melhor país do mundo para idosos. Ao todo, o estudo avaliou o bem-estar social e econômico da terceira idade em 96 países. Atrás de 10 nações da América Latina, o Brasil está em 56.º lugar no ranking dos melhores países do mundo para os idosos viverem. 
Conforme pesquisa, o Brasil ainda falta muito para ser um paraíso para a terceira idade. A falta de segurança pública, a má qualidade do transporte urbano são os principais desafios do país para garantir o bem-estar da sua população idosa. As dificuldades de acessibilidade e locomoção no meio urbano, inclusive, podem levar o idoso a desencadear problemas de saúde. Por não se sentir acolhido e não encontrar espaços para exercer sua cidadania, alguns preferem não sair de casa para não ter de enfrentar as inúmeras dificuldades de deslocamento. 

A Índia, apesar de serem considerados um pais de 3º Mundo, está a anos-luz à nossa frente no que diz respeito à maneira como trata os seus idosos. O respeito que os indianos nutrem pelos idosos são o pilar da sua cultura. Os mais velhos são a força condutora de qualquer família e, logo, o amor e respeito que sentem vem de dentro, do mais fundo do ser. Tradicionalmente, os indianos pedem a bênção aos mais velhos tocando nos pés, demonstrando assim o seu respeito pelos caminhos percorridos até então. No Japão eles respeitam muitos os idosos, pois detêm o conhecimento e experiência que não os tens, e são eles os conselheiros e patriarcas de suas respectivas famílias. Daí a denominação de povo sábio. Analisem a evolução do povo japonês, e a nossa.

Abaixo o texto que muito me fez refletir.


Quando me Tornei Invisível...


Já não sei em que data estamos.
Nesta casa não há folhinhas e, em minha memória tudo está revolto. 
As coisas antigas foram desaparecendo.
E eu também fui apagando sem que ninguém se desse conta.
Quando a família cresceu, me trocaram de quarto.
Depois, me passaram a outro menor ainda acompanhada de minhas netas. 
Agora ocupo a edícula, no quintal atrás.
Prometeram-me trocar o vidro quebrado da janela, mas se esqueceram. 
E nas noites, por ali  sopra um ventinho gelado que aumenta minhas dores reumáticas.

Um dia a tarde me dei conta que minha voz desapareceu.
Quando falo, meus filhos e meus netos não me respondem.
Conversam sem olhar para mim, como se eu não estivesse com eles. 
Às vezes, digo algo, acreditando que apreciarão meus conselhos.
Mas não me olham, não me respondem.
Então, me retiro para o meu canto antes de terminar a caneca de café.
O faço para que compreendam que estou enojada, para que venham procurar-me e me peçam perdão…
Mas ninguém vem. No dia seguinte lhes disse:
- Quando eu morrer, então sim vão sentir minha falta e meu neto perguntou:
- Estás viva, vovó? (rindo-se)

Estive três dias chorando em meu quarto, até que numa certa manhã, um dos meninos entrou a jogar umas rodas velhas…
Nem o bom dia me deu.
Foi então quando me convenci de que sou invisível.
Uma vez, os meninos vieram dizer-me que no dia seguinte iríamos todos ao campo. Fiquei muito feliz.
Fazia tanto tempo que não saía!
Fui a primeira a levantar. Quis arrumar as coisas com calma.
Nós, os velhos tardamos muito, assim, me ajeitei a tempo para não atrasá-los.
Em pouco tempo, todos entravam e saíam da casa correndo, jogando bolsas e brinquedos no carro.

Eu já estava pronta e muito alegre.
Parei na porta e fiquei esperando.
Quando se foram, compreendi que eu não estava convidada.
Talvez porque não cabia no carro.
Senti como meu coração se encolhia, o queixo me tremia como alguém que tinha vontade de chorar.
Eu os entendo. São jovens.
Riem, sonham, se abraçam, se beijam.
Antes beijava os meninos, me agradava tê-los nos braços, como se fossem meus. E, até cantava canções de berço que havia esquecido. Mas um dia...

Minha neta acabava de ter um bebê.
Me disse que não era bom que os velhos beijassem aos meninos por questões de saúde. Desde então, não me aproximei mais deles.
Tenho tanto medo de contagiá-los!
Eu os bendigo a todos e os perdoo, porque…
Que culpa eles têm, de que eu tenha me tornado invisível?

Texto Original- “El dia que me volvi invisible”
Autora: Silvia Castillejon Peral
Cidade do México-2002 

Até a próxima postagem!
Grande abraço!

“Adoro Reticências… Aqueles três pontos  intermitentes que insistem em dizer que nada está  fechado, que nada acabou, que algo sempre está  por vir! A vida se faz assim! Nada pronto, nada  definido. Tudo sempre em construção. Tudo ainda  por se dizer… Nascendo… Brotando…  Sublimando… Vivo assim… Numa eterna  reticência… Para que colocar ponto final? O que  seria de nós sem a expectativa de continuação?(Desconheço Autor)

130 comentários:

  1. A humanidade está cada dia mais egoísta e desumana. Graças a Deus a minha família sempre foi muito unida.
    O texto já o conhecia. Recebi-o em tempos por email. E há tanta gente assim. Aqui onde vivo, no Verão há sempre idosos abandonados no hospital.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Elvira, cada dia torna-se mais visível o desamor dos filhos aos pais. Esquecem a dedicação, as noites mal dormidas, trabalho árduo dos pais para buscar o sustento e o bem estar dos filhos. Os pais fazem isso naturalmente e por amor. A única recompensa que esperam é ver o filho crescer e ser feliz.
      Porém, a relação entre pais e filhos está se tornando um via de mão única. Os filhos crescem alçam vôos e esquecem o pais. O que é mais lamentável é que esse abandono se dá no momento em que os pais mais precisam dos filhos, pois as energias foram consumidas para dar suporte ao crescimento de sua prole. Cada pessoa tem suas questões, seus problemas e limitações, mas não cuidar de pais idosos é grave! É uma forma de violência.
      Continuação de boa semana!
      Um abraço!

      Excluir
  2. Boa noite Smareis!
    Esse texto já circulou na internet, circula ainda, para quem sabe, poder tocar os corações, assim como o seu, o meu e de muitos, ainda bem que maltrato aos idosos não é praticado pela maioria.
    Conheço idosos no meu meio social que são muito bem tratados e amados.
    Vamos indo e quem sabe os que são desprezados possam, quem sabe, receberem o amor que merecem?!
    Abraços apertados querida amiga!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ainda não conhecia o texto Ivone. Vale apena ler e refletir quantas vezes necessárias. É um caso que acontece em diversas famílias, e muitos nem tomam conhecimento, ou melhor, deixa passar em branco... Quando uma mãe ou pai se recusa a cuidar de um bebê ou abandona-o, toda a sociedade se revolta com um ato de atrocidade contra um incapaz. E quando o inverso acontece? Um idoso dependente é tão vulnerável quanto um bebê, ou seja, não tem condições de se alimentar sozinho, de se vestir sozinho e de defender-se. Eu sei que muitas famílias tratam seus idosos com respeito e carinho, isso é elogiável, é a obrigação de filho, mais ainda há muitos filhos que abandona seus pais porque não tem tempo nem pra dar um abraço. Imagine então se fosse pra cuidar... Eu participei de uma campanha de agasalhos para os asilos, casas de repouso etc. A partir dai, que pude perceber o que de fato acontece com os idosos. Na verdade tudo que eles querem é apenas carinho, respeito e nada mais... Muitos não querem dar trabalho aos seus filhos, até preferem estar nas casas de repouso, mais isso não justifica que o filho nem lá vai para conversar um pouquinho, lhe dar um carinho, mesmo que não tenha tempo e nem condições.

      Continuação de boa semana Ivone. Obrigada pelo carinho. Estava com saudade de ti minha amiga. Andas muito sumida.
      Beijos e sorrisos!

      Excluir
    2. Abraços, apareças por lá também!Assim não perdemos o contato, feliz dia do amigo!

      Excluir
    3. Abração Ivone, não perderemos os contato. Feliz Dia do Amigo pra ti também.

      Excluir
  3. That's how kids are: when they get older they forget about their parents.
    Have a nice day!
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acontece hoy nos abandonamos sus pais. Abraço Catalin.
      Continuación de boa semana.

      Excluir
  4. Ambos textos, el tuyo y al que haces referencia, tienen su razón de ser. Y son ciertos en muchos aspectos...

    Pero no son ciertos para todos. No se dan en todos los casos. No les sucede a todos...

    Y creo que es aquí donde está la cuestión a tener en cuenta. En lo de uno, en lo próximo, en lo que realmente sucede en tu "mundo". Que no tiene porque ser lo que sucede en el mundo en general.

    ¡Podría "no haber" ese mundo general..., y sí los millones de mundos particulares en los que suceden cosas particulares.

    ¿Qué sucede en el tuyo realmente? ¿Qué sucede en el mundo de los demás más próximos a ti? ¿Qué piensas hacer, qué haces, para resolver, vivir y hacer vivir lo mejor que puedas las cosas que te atañen?

    Esta podría ser la clave que evitase tanta confusión y sufrimiento. tanto "mal entendido" valle de lágrimas.

    Abrazos, Smareis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Usted tiene razón, no son verdaderos para todos, pero son verdad para una buena parte todavía, dos hijos que abandonan sus pais.
      No hay nada que ver, pero en tantos otros, que nadie se conoce. Antigamente os filhos cuidaban más de sus paises que hoy en dia. El estatuto del Idoso ilustra claramente una priorización de los servicios de la persona por su propia familia. O afeto, una gratidão, o reconocimiento, o amor, una solidariedad no se impõe. Esto se debe a emergir de coraçao de cada um.
      Es muy bonito ver los niños cuidando de su pais con el carinho y el respeto de nuestra vida.

      Continuación de boa semana
      Abrazos Ernesto.

      Excluir
  5. Beautiful. I love the two in a bed, coupling-up.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thank you Bob, I also like the picture.

      Excluir
  6. Excelente trabalho e belo texto de que gostei bastante.
    Um abraço e continuação de boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Continuação de boa semana Francisco!
      Abraço!

      Excluir
  7. Cara Smareis. Que belo texto, que grande lição e motivo para reflexão.
    É uma verdade que dói, mas que cada vez mais se está enraizando na sociedade. Os mais velhos, se forem carenciados são um estorvo, se tiverem posses são adulados na esperança de vir a ter algum benefício.
    São velhos que fizeram acusa parte é que merecem dignidade até ao fim.
    Boa abordagem, como sempre, de algo para refletir.
    Obrigado e um abraço deste amigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Manuel! Uma verdade que dói e muito... Conheço pessoas que não leria essa postagem, risos. Mais ta tudo certo, escrevo para alguns, e não pra todos.
      A responsabilidade dos filhos com os pais idosos já foi definida pelo Estatuto do Idoso e até pela Bíblia – “ampara o teu pai na velhice” é um das frases mais famosas do Eclesiastes –, mas, há cada vez mais idosos – e cada vez menos jovens para cuidar deles. Os valores na geração atual são muito diferentes dos valores atribuídos na geração anterior.

      Tem um texto do Fabrício Carpinejar que me faz refletir muito:
      “Todo filho é pai da morte de seu pai”.
      "Feliz do filho que é pai de seu pai antes da morte, e triste do filho que aparece somente no enterro e não se despede um pouco por dia."
      Há uma quebra na história familiar onde as idades se acumulam e se sobrepõem e a ordem natural não tem sentido: é quando o filho se torna pai de seu pai.
      É quando o pai envelhece e começa a trotear como se estivesse dentro de uma névoa. Lento, devagar, impreciso.
      É quando aquele pai que segurava com força nossa mão já não tem como se levantar sozinho. É quando aquele pai, outrora firme e intransponível, enfraquece de vez e demora o dobro da respiração para sair de seu lugar.
      É quando aquele pai, que antigamente mandava e ordenava, hoje só suspira, só geme, só procura onde é a porta e onde é a janela – tudo é corredor, tudo é longe.
      É quando aquele pai, antes disposto e trabalhador, fracassa ao tirar sua própria roupa e não lembrará de seus remédios.
      E nós, como filhos, não faremos outra coisa senão trocar de papel e aceitar que somos responsáveis por aquela vida. Aquela vida que nos gerou depende de nossa vida para morrer em paz.
      Todo filho é pai da morte de seu pai.
      Ou, quem sabe, a velhice do pai e da mãe seja curiosamente nossa última gravidez. Nosso último ensinamento. Fase para devolver os cuidados que nos foram confiados ao longo de décadas, de retribuir o amor com a amizade da escolta.
      E assim como mudamos a casa para atender nossos bebês, tapando tomadas e colocando cercadinhos, vamos alterar a rotina dos móveis para criar os nossos pais.
      Uma das primeiras transformações acontece no banheiro.
      Seremos pais de nossos pais na hora de pôr uma barra no box do chuveiro.
      A barra é emblemática. A barra é simbólica. A barra é inaugurar um cotovelo das águas. Porque o chuveiro, simples e refrescante, agora é um temporal para os pés idosos de nossos protetores. Não podemos abandoná-los em nenhum momento, inventaremos nossos braços nas paredes.
      A casa de quem cuida dos pais tem braços dos filhos pelas paredes. Nossos braços estarão espalhados, sob a forma de corrimões.
      Pois envelhecer é andar de mãos dadas com os objetos, envelhecer é subir escada mesmo sem degraus.
      Seremos estranhos em nossa residência. Observaremos cada detalhe com pavor e desconhecimento, com dúvida e preocupação. Seremos arquitetos, decoradores, engenheiros frustrados. Como não previmos que os pais adoecem e precisariam da gente?
      Nos arrependeremos dos sofás, das estátuas e do acesso caracol, nos arrependeremos de cada obstáculo e tapete.
      E feliz do filho que é pai de seu pai antes da morte, e triste do filho que aparece somente no enterro e não se despede um pouco por dia.
      Meu amigo José Klein acompanhou o pai até seus derradeiros minutos.
      No hospital, a enfermeira fazia a manobra da cama para a maca, buscando repor os lençóis, quando Zé gritou de sua cadeira:
      ? Deixa que eu ajudo.
      Reuniu suas forças e pegou pela primeira vez seu pai no colo.
      Colocou o rosto de seu pai contra seu peito.
      Ajeitou em seus ombros o pai consumido pelo câncer: pequeno, enrugado, frágil, tremendo.
      Ficou segurando um bom tempo, um tempo equivalente à sua infância, um tempo equivalente à sua adolescência, um bom tempo, um tempo interminável.
      Embalou o pai de um lado para o outro.
      Aninhou o pai.
      Acalmou o pai.
      apenas dizia, sussurrado:
      ? Estou aqui, estou aqui, pai!
      O que um pai quer apenas ouvir no fim de sua vida é que seu filho está ali.

      (Fabrício Carpinejar)

      Abração Manuel!
      Continuação de boa semana!

      Excluir
  8. Primer mundo pero deshumanizado.
    Tienes razón, en los paises del oriente o tercer mundo, el respeto a los mayores es mayor que en los mundos más civilazados, en los que los ancianos ya no nada, sólo un estorbo, y es una pena.
    Un abrazo.
    Ambar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Es revuelta la falta de AMOR.
      Muchos ancianos cargan la tristeza en la MIRADA, pues son tratados como "estorbos" en la vida de sus familiares. Nada justifica el trato impaciente que muchos tienen con ciertos ancianos por ahí ... Triste hecho más real.
      Continuación de buena semana
      Un abrazo Ambar

      Excluir
  9. Olá, sendo um texto já conhecido ou não, é sempre actual para refletir, muito existe para fazer em todos os países na protecção dos mais velhos, não sei o lugar de Portugal no Ranking mundial, sei que muitas medidas foram e continuam a ser tomadas em defesa dos mais velhos, uma das medidas, é considerado crime o abandono pelos filhos e na falta destes pelo familiar mais próximos, dá direito a pena de prisão e é deserdado, muitas vezes oiço dizer que o lar onde está o familiar é muito bom, na minha opinião o lar pode ter todas condições de conforto,sanitas em ouro com torneiras em diamantes, mas falta o mais importante que é o aconchego com amor da família, todo o ser humano necessita sentir amor e compreensão da parte dos seus familiares, muito mais se pode dizer sobre a importante partilha, o ser humano pode e deve aperfeiçoar o seu caracter ao longo da vida, qualquer país tem a responsabilidade de educar o seu povo, caso contrario é um país estagnado, um povo sem educação não tem evolução.
    Resto de boa semana,
    AG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui no Brasil existem leis que protegem os idosos, inclusive na semana passada o presidente Michel Temer alterou três artigos dessa lei 10.741, de 2003, para reforçar a prioridade a pessoas acima de 80 anos. O Estatuto do Idoso prescreve que, prioritariamente, é obrigação da família garantir ao idoso a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária. Quando desrespeitados esses direitos e garantias, os filhos são responsabilizados com fulcro no Código Civil Brasileiro. Apesar de a legislação brasileira definir princípios e diretrizes de proteção social aos idosos, a realidade mostra que muitos pais idosos são abandonados pelos filhos. Os filhos se negam a prestar assistência material e, especialmente, assistência afetiva. Amparar aos pais na velhice é obrigação dos filhos. Ainda que os pais tenham condições socioeconômicas de sobreviverem, subsiste o dever dos filhos nas prestações de ordem afetiva, moral e psíquica.
      Desde que o afeto foi considerado um valor jurídico o abandono afetivo pode gerar indenização, pois é considerada a falta de proteção e cuidado. Portanto, se o cuidado e a proteção para com os pais idosos é um dever e este dever não é observado, se está diante de um ato ilícito. O Entendimento é que a falta de apoio moral e material em um momento peculiar da vida que é a velhice, causa um profundo abalo psicológico no idoso. O que fere a dignidade da pessoa humana.
      Infelizmente a nossa realidade, muitas vezes, não se aplica ao que prega a lei.
      Feliz sexta-feira.
      Um bom fim de semana AG

      Excluir
  10. Una imagen muy emotiva y un texto precioso.Besicos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buena imagen, me gusta mucho.
      Buen fin de semana
      Besos

      Excluir
  11. Respostas
    1. Um texto que nos leva a reflexão.
      Beijo Nina!
      Bom fim de semana!

      Excluir
  12. Os idosos que se encontram acamados, alguns é que não recebem visitas. Esses alguns são aqueles que nada têm, para deixar aos herdeiros. Por isso é que são abandonados. Pelos seus próprios familiares e não só, como também o são nos hospitais e pela sociedade em geral. Já quanto aqueles que têm fortunas são tratados de maneira diferente. Visitas não faltam e carinho fingido também não!
    Tenha uma boa tarde amiga Smareis, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Edu, realmente eu não sei qual dos dois é o mais ingrato: Aquele que abandona o pai porque não tem nada pra herdar, ou aquele que finge que cuida, porque sabe que vai herdar uma fortuna. São fatos que acontece diante dos nossos olhos e muitas pessoas por incrível que pareça nem percebe. O amor dos pais pelos filhos é incondicional, sem limites, e na hora dos papéis de inverterem, dos filhos assumirem a responsabilidade de cuidar daquela pessoa que fez o possível e impossível para que eles se tornassem um cidadão de bem. Os filhos viram as costas. Na verdade o que os pais querem não é o dinheiro, apenas atenção, respeito, amor, gratidão.
      Bom fim de semana amigo!
      Abraço Edu!

      Excluir
  13. Infelizmente é o que acontece conforme vamos envelhecendo. Nos tornamos invisiveis para os mais novos e somos dispensáveis. Parece que muita gente esquece que um dia, se tudo correr bem também irá passar por isso e só nessa altura dará valor ao que perdeu e às injustiças cometidas contra os seus familiares mais idosos.
    Beijos

    P.S- Parabéns pelo seu blog. Gostei do visual limpo e com classe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Ana, feliz com sua presença. Que bom que gostou do blog. Será sempre bem vinda.
      Nestas últimas décadas surgiu uma geração de pais sem filhos presentes.
      Respeitar e cuidar de um idoso são a prova de que a pessoa entendeu que o ciclo da vida terá efeito sobre todos. Seja o melhor e receberá o melhor, e lembre-se de que o contrário também é verdadeiro.
      Bom fim de semana Ana!
      Beijos!

      Excluir
  14. Boa tarde, Smareis! Infelizmente vivemos em um mundo onde o afeto também se tornou algo de barganha. Quando você não tem mais serventia, adeus! Eu fico chocada com o descaso com os nossos idosos. Sempre fico revoltada com esse tipo de abandono familiar. É um texto que realmente emociona. É um assunto importante para se debatido, questionado e, principalmente, falado. O que acontece com a humanidade quando o amor não existe? Isso e entre outras coisas bem dolorosas. Quando o ser humano vai aprender com os seus erros? Beijinhos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Aline, infelizmente é isso que acontece em algumas famílias. “Uma troca”.
      Na Índia e no Japão, o idoso é a figura mais importante da família e da comunidade, todos eles são tratados com respeito e atenção pela vasta experiência acumulada em seus anos de vida. Não importa qual a condição financeira, ou se tem herança ou não pra deixar para os membros da família. Lá a família é o Porto Seguro dos velhinhos. O que anda faltando aos idosos é o respeito e agradecimento por tudo que fez ao longo de sua vida.
      Boa semana Aline!
      Beijos...

      Excluir
  15. Já conhecia este texto , e também chorei .

    Forte abraço , Smareis ,
    Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um texto que faz a gente pensar...
      Boa semana Maria!
      Abração!

      Excluir
  16. As maiores feridas que ficam na alma são aquelas causadas por quem amamos, pois do restante do mundo é mais fácil a cicatrização mas dos que amamos elas se tornam difíceis a cada dia.

    Uma bela postagem para refletirmos.
    Beijos
    Joelma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Joelma, são feridas difícil de cicatrizar.
      Boa semana!
      Beijos...

      Excluir
  17. Por desgracia una realidad una cosa es dejar en una residencia de ancianos a los padres por no poder atender adecuadamente y otra olvidar en un rincón como nos cuentas.

    Saludos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desafortunadamente muy triste, tanto un caso como el otro.
      Buena semana
      Saludos.

      Excluir
  18. Hi Smareis, This is very sad. So many times the elderly are forgotten. I believe that respect for our older loved ones must be taught at home and practiced daily. They took care of us and one day it's our turn to care for them. We are all going to get old. No one escapes being old if we are blessed to live long enough. The care and love for our older fellow man has to begin within each one of us. Blessing to you my friend. xo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hi Celestina,
      I also think so, that respect for the elderly needs to start at home early, parents teaching their children in a daily practice.
      good week
      hugs...

      Excluir
  19. E como faz refletir, Smareis... Ainda mais nos dias de hoje. Que postagem boa e necessária. Bjs e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, faz refletir e muito...
      Boa semana Sérgio!
      Beijos...

      Excluir
  20. Smareis
    eu já conhecia o texto, mas sempre que o leio fico com um certo desconforto, e fico sempre emocionada e triste.
    o mundo está cruel as pessoas que o habitam também, salvo raras excepções.
    e é tão triste ver os nossos idosos abandonados e alguns até maltratados.
    o teu texto é muito emotivo e real.
    um bom final de semana.
    beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é um texto que muito me emocionou...
      Os idosos foram antes de nós nessa nossa mesma estrada, na nossa mesma casa, na nossa cotidiana batalha por uma vida digna. São homens e mulheres de quem nós recebemos muito.
      É dever da família, da sociedade e do Estado amparar o idoso garantindo-lhe o direito à vida com dignidade.
      Boa semana Piedade!
      Beijinhos...

      Excluir
  21. Un texto lleno de carga emocional pleno de sensaciones y de sentimientos de ida y vuelta. Estamos viviendo momentos críticos en la sociedad, dejando de lado nuestra esencia humana de respeto y solidaridad ante estas personas que lo han dado todo por nosotros y siempre nos han protegido e iluminado.
    Abraços y Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Los ancianos poseen derechos como cualquier ser humano de cualquier edad, más esos derechos no vienen siendo respetados. Los hijos tienen la obligación de amparar a sus padres en la vejez, sea material, sea inmaterialmente. Aunque los padres tienen condiciones económicas y financieras de sobrevivir, subsiste el deber de los hijos en las prestaciones de orden afectivo, moral y psíquico.
      Buena semana Pedro
      Abrazos y besos

      Excluir
  22. Bom Dia. Estou aqui a acenar! Ser invisível é ter "idade" para ensinar e... não ser escutado.
    Um bom trabalho, Smareis.


    Beijo
    SOL

    ResponderExcluir
  23. Clau
    21:36 (Há 1 hora)

    Clau deixou um novo comentário sobre a sua postagem "O dia que me tornei invisível...":

    Olá Smareis,
    Uma postagem e tanto para refletirmos...
    O texto é emocionante e atual.
    Infelizmente muitas famílias
    abandonam seus idosos,
    e isso é desumano e muito triste.
    Gostei do tema abordado.
    Bjs!


    Publicar
    Excluir
    Marcar como spam

    Moderar comentários para este blog.

    Postado por Clau no blog Escrevinhados da Vida em 21 de julho de 2017 17:36

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito triste ver tantos casos de idosos abandonado e rejeitado, dentro das próprias famílias, lugar esse, onde eles deveriam estar seguro, sendo amado, cuidado e respeitado.
      Boa semana Clau!
      Beijos...

      Excluir

  24. SMAREIS,

    sou seu mais novo seguidor e exatamente, o de número 1152 e destaco isto para lhe dizer que poucos blogues conseguem tal quantidade de seguidores, principalmente agora com o Facebook, resteg e assemelhados.
    #tô certo?!
    Smareis repare que, geralmente pretendemos sempre atribuir aos outros os déficits de tudo que nos ocorrem e até Deus tem sido muito alvo destas transferências que fazemos quando algo vai mal em nossas vidas e as expressões tais como: Se Deus existe como Ele "deixou" acontecer isto?
    É bem verdade que, costumamos ouvir sobre Deus coisas até impublicáveis quando a vida não nos oferece aquilo que Ele tinha "obrigação" de nos dar.Concorda?
    Freud costumava dizer que :"Só odiamos a quem verdadeiramente amamos e não conseguimos alcançar".
    E veja que veio de um dos maiores intelectuais ateu de todos os tempos a explicação das razões de ficarmos esbravejando contra tudo, quando tudo não sai como queremos.
    Para não deixar a menor dúvida aqui devo confessá-la que sua postagem é uma obra literária de primeiríssima qualidade e que poucas vezes li em blogues algo tão formidável!
    Porém, permita que faça aqui um contraponto,tipo advogado do diabo: Na maioria das vezes o idoso é o principal culpado por se tornar invisível, pois nesta sociedade do "politicamente correto" acreditamos que o envelhecimento quer dizer morte em vida! Um idoso não deve se deixar confundir com um imprestável , nem intelectual nem fisicamente!
    Vamos por partes, como fazia Jack o Estripador: Se o idoso acorda com dores agudas, por exemplo, ele deve evitar ir a sua aula matinal de ginastica (coisa que a maioria dos idosos não faz)porque desta forma evitara que seu professor lhe trate como um incapaz com frases tipo:"Oi vovozinho ta doendo muito seu bracinho? E a perninha também? Está muito pálido quer ajuda vovozinho?" Esta é uma situação comum, o idoso não perceber que naquele dia não deve, mas eu disse naquele dia da vida e não na vida toda! O idoso tem que, dentro das suas disponibilidades físicas e mentais, participar ativamente, quando for possível, da vida , afinal ainda não morreu! E morrer todos iremos um dia! Deve acompanhar o progresso cientifico e tecnológico da sociedade,manter-se informado, "ensinar" aos netos que este aplicativo é melhor do que aquele outro para o celular e não se colocar em situação de comiseração, achando que chegou a hora de parar,que vai parecer ridículo,afinal o que a família vai pensar se ele com 80 anos encontrar uma mulher e amar verdadeiramente uma muito mais nova? E os netos? E os filhos? As cunhadas? Primos? O cachorro? E os os raios que os partam?
    É esta visão que o idoso tem daquilo que os outros poderão pensar dele e que faz dele o Senhor das Comiserações e querer muitas das vezes ser tratado como um indigente, atolado num sofá ou encostado na vida como um peso morto como se fosse algo parecido com aquilo, que antigamente (%$#$%%$#) se colocava em cima dos papeis que enrolavam as carnes nos açougues para que elas não voassem!
    Voe idoso,meta o pé na porta do desânimo,arranque do corpo esta roupa cinza, amarrotada e saia colorido, escolha uma pulseira de couro bonita e bote no punho, de um "tapa" e faça um cabelo bonito, pinte se quiser,manda aquele perfume no corpo, seja jovem por dentro, não acredite nesta maldição do politicamente correto, seja transgressor, politicamente incorreto, morra dentro de uma suite de um motel, e jamais dentro daquele quarto escuro pelo qual a família nem entra.
    Falei demais o que que eu explique tudo de novo?
    Maravilhosa postagem Smareis!
    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Paulo, feliz por saber que já ocupou sua cadeira de seguidor. Já tive muitos mais seguidores por aqui...
      Muitos de meus seguidores já deixaram a cadeira vazia. Muitos deixaram de blogar, outros migraram pra redes sociais, outros excluíram o perfil do blogger etc e tal.

      A vida é assim, uns saindo e outros chegando.

      Gostei da forma que você incentiva os idosos...
      Eu acho que a família não pode tratar o idoso como criança.
      O idoso é uma biblioteca de sabedoria, precisa ser respeitado principalmente pela família. Muitos adoecem, por se achar que não serve mais pra nada, que virou uma criança.
      Hoje ser velho se tornou sinônimo de fraqueza, doença, uma coisa inútil, incapaz de produzir bons frutos para a sociedade, sendo muitas vezes abandonados a espera da morte. A velhice é muitas vezes considerada como uma degradação física e psicológica, sendo que esses conceitos são injustos, pois velhice não significa decadência. A velhice é uma fase de grande riqueza e vitalidade do ser humano, é o momento em que o indivíduo olha para traz e ver o quanto aprendeu, acertou, errou e acima de tudo viveu.

      Boa semana Paulo!
      Um abração capixaba.

      Excluir
  25. Há muita gente idosa invisível nos lares e até em casa da família. Tenho observado isso no lar onde o meu pai está. Enquanto ele tem visitas diárias, apesar dos seus 97 anos, há idosos que raramente são visitados. Para estes, a diferença entre um lar e uma cadeia é quase nula, ainda que o carinho dos funcionários amenize a sua solidão.
    Excelente post, gostei imenso.
    Smareis, um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem com certeza, muita gente invisível Jaime. Esses são uma riqueza, que não podia ser ignorados. Deveriam ser, para toda a sociedade, a reserva de sabedoria da família.
      Boa semana Jaime!
      Beijos...

      Excluir
  26. Gostei do blog :)

    https://trapeziovermelho.blogspot.pt

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Telma pela visita!
      Seja bem vinda!

      Excluir
  27. Comovente e revoltante, Smareis, por retratar uma realidade que vemos por todos os lados. Mnha mãezinha querida tem hoje 95 anos; estar com ela, em todas as vezes, é uma das minhas atividades mais prazerosas e enriquecedoras. Eu a amo, com todo meu coração, e não entendo como as pessoas podem fazer isso! É revoltante. Oportuno post, minha amiga; boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem revoltante mesmo Árabe. Realidade triste.
      Que bênção você ainda ter sua mãe. Que Deus a abençoe a cada dia mais, dando lhe muita saúde. É privilegio e graça divina ter os pais vivos, poder dar um beijo, um abraço, pedir a bênção...
      Alguns anos atrás, eu perdi meus pais, os dois se foram praticamente juntos, um espaço muito curto um do outro. Às vezes eu ainda penso que eles estão viajando e de repente vão estar de volta... O Criador chamou os dois lá pra cima, não sei se foi cedo demais, ou estava no momento deles. Pedir a bênção aos meus pais era sagrado, isso me faz falta... Hoje em dia, são raros os filhos e pais que ainda conservam esse saudável tratamento. Lamentavelmente, essa forma de tratamento vem sendo esquecida e abandonada, como se fosse algo sem importância. Com isso, os relacionamentos entre pai e filho vão se tornando frios, mecânicos, circunstanciais e impessoais. Assim, as relações afetivas acabam sendo substituídas por relações utilitárias, ou seja, apenas baseadas em interesses pessoais secundários.
      Boa semana amigo Árabe!

      Excluir
  28. Olá Smareis!
    Boa semana com tudo de bom.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa semana pra você também Ana!
      Beijos...

      Excluir
  29. Um texto brilhante para refletirmos em como infelizmente, cada vez mais, estamos ficando desumanizados. Uma realidade dolorosa e pelo que ouço hoje os mais novos falarem, a indiferença pelos outros, nomeadamente pelos mais idosos, vai crescendo com o passar dos tempos.
    Os jovens de hoje se esquecem que num futuro não muito longínquo também serão idosos e nessa altura invisíveis.
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sempre bom refletir a respeito desse tema Maria. Ninguém escapa do tempo,
      dessa estrada cheia de aprendizados. Mais cedo ou mais tarde todos irão caminhar por ela. Não adianta reclamar, é só aceitar e fazer o melhor possível para mais tarde não se torna um invisível.
      Boa semana!
      Beijos...

      Excluir
  30. Oi Smareis! Penso que é uma grande sabedoria,na medida do possível, irmos encarando as possibilidades da velhice com realismo, nos preparando...a vida nem sempre é justa, nem sempre dedicação e amor é retribuído de acordo com nossas atitudes e muitas vezes um idoso rejeitado não foi um ser humano exatamente humano..há tantas possibilidades. Eu, particularmente não cobraria atenção de filho ou netos, me bastaria sabê-los felizes. Adoraria viver em um asilo, viver a minha realidade possível, ter a certeza de que fiz o melhor que podia, que aproveitei meus melhores dias, que vivi, que soube dar amor e isso me fez bem. A bagagem, ao fim, deve ser leve, bem leve.
    Minha querida, obrigada pelo carinho mesmo eu estando longe das escritas.
    Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Oi Dalva! Com certeza minha amiga, a melhor receita é ir se preparando ao longo da vida... Essa é uma realidade da qual ninguém escapa. Se vestir de sabedoria é importante para administrar a velhice e desfrutar as coisas boas que a vida ainda reserva... Tudo que começa, chega ao fim... Envelhecer com alegria, serenidade, ânimo é o que os especialistas aconselham... O tempo é irreversível. Implacável. Os ponteiros do relógio não param, por isso ninguém escapa das esculturas do tempo no corpo e na imagem. É preciso aprender a amá-las, e seguir a vida com leveza, com certeza, todos sentirão menos o peso do tempo. A bagagem vai ser bem mais leve...
      Boa semana minha querida!
      É sempre um prazer lhe visitar!
      Abração!

      Excluir
  31. ótimos textos, é preciso refleti sobre a velhice e a consideração que devemos aos seres humanos que nos geraram, sustentaram, educaram...
    Boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse tema leva a reflexão, e nos faz pensar muito a respeito dos pais... Os pais nunca são perfeitos, mas merecem a honra, respeito e gratidão dos filhos pelo trabalho que fizeram, sustentando, educando, dando carinho, amor. Ter os pais vivos é uma dádiva divina. Rejeição e desamparo, é um sentimentos que estremecem as entranhas de qualquer mortal.
      Gostei muito de seu trabalho Antonio.
      Suas telas são uma obra de arte.=D7
      Boa semana!

      Excluir
  32. Oi Smareis!
    Esse tema mexe com a gente. Eu também já fiz uma postagem citando o texto que realmente é real e nos causa muita indignação. A Invisibilidade dos Idosos é muito triste! Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vitorio!
      Esse tema mexe com a gente sim, creio que até por isso muitas pessoas fogem dessa leitura... É um fato triste, mais tem idosos que acabam sendo rejeitados e desamparados pelos próprios filhos em hospitais, asilos e nunca mais vão visitá-los. O maior sofrimento é a indiferença, o abandono, e a solidão. O filho tem que honrar os pais. O significado grego para honra é reverenciar, estimar e valorizar. Esta é a honra que Deus nos pede, é olhar para os nossos pais e vê-los a um degrau na nossa frente, é compreender que eles tem uma posição superior a nossa. E esta honra deve ser mantida mesmo que os pais não mereçam, a honra não vem pelo mérito, mas sim pela posição que os pais ocupam. Para bem ou para mal, os pais são um grande exemplo e influência na vida dos filhos. Merece respeito e gratidão.
      Boa semana Vitorio!
      Depois passo no link que deixou.
      Abraços...

      Excluir
  33. La voz de esa abuela que llega a pensar que se ha vuelto invisible es muy duro y lo es porque responde a una realidad: no es una fantasía. Son personas mayores, dependientes, por causas de salud o económicas a las que se tolera pero a las que no se acepta como ser humano. Hasta un gatito que tengas en casa necesita de tu atención y de tu cariño. Es una verdadera tragedia. Es la consecuencia de una sociedad que ha menospreciado a los mayores, ya no ganan dinero, no sirven para trabajar, tienen mala memoria y mala vista. Los niños aprenden lo que ven.

    Tengo 83 años y tengo la suerte de valerme por mi misma. Vivo sola pero soy una persona muy independiente, estoy segura de que en las mismas condiciones, si llegaran a producirse, yo no podría soportar verme tratada de ese modo. Seguro que no lo toleraría porque no se puede tolerar ese mal trato. no.

    Es como todos los que se traen a este blog, un tema lleno de interés y, además, se enfrenta con la realidad, sin tapujos. Enhorabuena. Un abrazo. Franziska

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esta es una realidad que ocurre en muchas familias, donde las personas son tratadas como un invisible. Muchos familiares creen que basta con colaborar con alguna cantidad de dinero para pagar a un cuidador, y habrán hecho su parte. Esto es un error, la presencia de las personas queridas es el mejor remedio contra la soledad en la vejez. El anciano al sufrir de desafecto por la familia, también pierde sus objetivos, envejeciendo y enfermando. Rechazo y desamparo es un sentimiento que duele en el alma. Es triste ver a personas siendo maltratadas, enfermas y tristes sin poder defenderse. Este tema lleva a la reflexión, y nos hace pensar mucho acerca de cómo estamos envejeciendo.

      Es muy bueno tener la propia vida sin depender de nadie. Ser independiente, además de no dar trabajo a nadie, es una forma de ser feliz.

      Buena semana
      Un abrazo Franciska

      Excluir
  34. Será que já estou me tornando invisível? É melhor não pensar nisso pelo menos agora, uma vez que ainda tenho energia para seguir sonhando com as estrelas, deixando-as irromperem do meu peito! Porque é dos homens sonhar, não importa a idade. Ou a invisibilidade, embora doa!
    Gostei de tudo que li ao aportar aqui sem ser convidado.
    Um abraço comovido,]


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem vindo José Carlos!
      Feliz com sua presença!
      Ninguém consegue ficar invisível quando se sonha com as estrelas José Carlos.
      Continue seguindo e sonhando... Sonhar faz parte da vida, essa é a força que dá esperança pra seguir em frente. A vida é muito generosa, está sempre nos dando alguma coisa, sempre nos oferecendo uma nova alternativa, uma nova oportunidade.

      Será sempre bem vindo!
      Um abraço!
      Boa semana!

      Excluir
  35. Uma triste realidade! Fui directora de um lar de idosos durante 12 anos e sei bem como alguns filhos se desresponsabilizavam dos pais. Felizmente nem todos.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitos familiares acreditam que basta contribuir com alguma quantia em dinheiro e terão feito sua parte.
      É necessário fazer as visitas regularmente, e fiscalizar de perto a fim de observar se o idoso recebe o atendimento e atenção adequada, verificando o estado de saúde e o estado emocional em cada visita.
      Infelizmente “alguns” familiares de idosos não segue essa regra.

      Beijos.

      Excluir
  36. Infelizmente cada vez mais acontece o abandono não só de idosos, mas até de crianças. A rejeição é um problema que muita gente enfrenta e é verdade que há pessoas que sentem tornar-se invisíveis para quem as rodeia. O seu texto é um motivo de reflexão para mim.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente é o que tem acontecido em muitas famílias. Em catequese, o Papa Francisco criticou a atitude de desprezar os idosos; segundo o Papa, sociedade que não cuida dos mais velhos carrega consigo o vírus da morte.
      Uma boa semana Graça!
      Um beijo!

      Excluir
  37. Venho só desejar-lhe, continuação de boa semana.
    AG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Continuação de boa semana pra você também AG.

      Excluir
  38. Oi Smareis minha querida! Então ! Vivi com meus pais até a partida deles. Minha ma~e se foi prematuramente , mas vá entender os desígnios inescrutáveis de Deus....Meu pai foi-se , devido a graves problemas de saúde. Deixaram muitas saudades e essas, são lembranças valiosas, como tesouros guardados a sete chaves. Enfim , muitos fazem poco caso de seus idosos, como fazem pouco caso, daquela velha camisa ou calça surrada, não levando em conta ao conforto bem ajustado, assim como o conforto ali guardado para nós nos velhos e bondosos corações paternos.O ser humano é patético, nesse e outros aspectos... Quanto ao texto, só dizer qual gostaria de comentar que te entrego via e-mail se desejar. Desde já´agradeço seu carinho e tenha certeza que é reciproco vice! tenho postado com atraso no Blog , devido ao livro que estou escrevendo. beijos no coração e um apetado abraço! Ainda darei pessoalmente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também perdi meus pais Beto. Foi muito dolorido porque os dois se foram praticamente juntos. Um espaço de tempo muito curto, apenas seis meses. Talvez pra gente estivesse cedo, mais pra Deus era o momento certo. Nem a vida nem ninguém conseguem nos preparar para a terrível dor de perder alguém que amamos para a morte.
      Infelizmente muitas pessoas estão tão ocupadas com o seu dia a dia, e não se lembram, ou não querem lembrar, de visitar quem os criou. Essa é uma realidade nos dias de hoje.
      Desejo sucesso no seu projeto. :-bd
      Opa daremos um abraço pessoalmente com certeza.
      Um abração e beijo no coração.
      Vou escolher o texto depois lhe passo vice!
      Boa semana!

      Excluir
    2. Viceeeeeeeeeeeeee rsrsrs beijão amada!

      Excluir
    3. Eu passo por lá , me aguarde viceeeee!
      :-bd:) ... Bj no coração!
      Continuação de boa semana!

      Excluir
  39. El texto poema que motiva tu comentario sobre el abandono, y la falta de querencia por los ancianos y personas provectas, no es una invención. ES una realidad. Lo sustancias en tu ensayo. Pero lo peor que se observa en el poema, es negar la nieta, que le dé un beso a su hija porque lo puede enfermar. Qué falta de sensibilidad¡ UN abrazo. carlos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este es un texto de gran enseñanza, y apropiado para una reflexión sobre la realidad de los ancianos.
      Buena semana Carlos
      Abrazo

      Excluir
  40. Olá querida amiga Smareis! Boa noite!
    Sabemos que no Brasil, a situação do idoso é crítica, muitos são os que vivem em total solidão, sem nenhum respeito pelo governo, se comparamos com outros países. E o pior de tudo, é que li na net e vi uma reportagem na TV, sobre a famílias estarem necessitando de parte da aposentadoria dos idosos, muitos fazendo empréstimos para ajudar filhos e netos. Nem sei o que falar, tamanha é a situação de falência em todos os sentidos, em nosso país e no povo! Também somos responsáveis por tudo o que acontece em nosso Brasil. As vezes, penso que estamos anestesiados, pois o que fazemos é nos acostumar com toda esta vergonha.
    Lembro da minha nonna, que viva de pensão, sem luxo, mas pagava o aluguel do seu apartamento, andava de táxi quando era necessário, também de ônibus. Pagava as suas despesas, as vezes viajava, fez questão de ajudar a fazer o enxoval de quatro netas e tinha lazer, viva bem, nunca pagou um convênio médico. Isso na década de 70 e início da de 80, claro, do século passado ahaha.
    Sempre é uma boa reflexão, o tema idosos e crianças. Ótima postagem e muito oportuna. A foto em P&B é lindíssima!
    Também, quero muito agradecer pelos votos lá no meu blogue e pela tua amizade minha querida Smareis. Também aprecio a flor de lótus, é linda e traz símbolos fortes, ligados a tudo o que há de melhor para o bem viver.
    Adorei a flores e aproveito para fazer um carinho em você, muito perfumado - Tulipas

    Desejo a você muitas felicidades, paz e serenidade. Um beijo e um fortíssimo abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi minha querida amiga Glorinha!
      Boa noite!
      Infelizmente essa situação dos idosos é muito critica, não só no Brasil mais em outros países também... Eu assisti na TV uma reportagem sobre esses empréstimos que os idosos têm feitos pra descontar parcelas na aposentadoria. Ao contrário do que muitos pensam as despesas não diminuem nessa fase da vida, elas apenas mudam. Antes os gastos eram com os filhos, agora pode ser com os netos, antes gastava mais com alimentação, agora gasta mais com remédios e com alguns empréstimos. Uma realidade muito triste. De acordo com o especialista em finanças pessoais, muito idoso hoje em dia, estão endividados devidos a empréstimos que fazem aos netos, filhos etc. Infelizmente, uma situação muito triste. Uma pessoa idosa tem passado presente e FUTURO. Infelizmente, muita gente acha que eles são inúteis. Mas a verdade é que eles merecem muito respeito e atenção pela parte da família e sociedade. Alguns dias atrás eu estava em um banco, e pude presenciar uma vovó fazendo um empréstimo para seu neto que tinha uns vinte e poucos anos. O neto queria dois mil reais, e ela a avó, estava decepcionada porque o gerente só podia liberar mil reais.
      0s idosos acham que pode fazer tudo pelos netos, até se endividar, mais na verdade a responsabilidade é dos filhos ter com seus filhos, não dos avós.
      A não que os pais tenham morrido e os avós estão com a responsabilidade da educação do neto.. Tem muito idoso que mal ganha para sobreviver e muitos ainda precisam ajudar filhos e netos. É onde começa o drama. Dinheiro curto, dívidas e empréstimos viram uma bola de neve que não tem mais fim.
      Devido o mau caratismo político, todo tipo de cachorrada, safadeza do mais elevado grau, enriquecimento ilícito comprovado e escancarado, na cara de todos os brasileiros, mesmo assim o povo não aprende, continua a votar nos mesmos canalhas. Existem razões aos montes para essas pessoas sentir vergonha de si próprio. Sentir vergonha de ver tantas brasileiros sofrendo devido a falta de responsabilidade em dar seu voto.
      Se existem motivos de orgulho do meu País, às vezes sobram motivos de vergonha.

      Enfim, estamos ai Glorinha, seguindo e acreditando em um mundo melhor.
      Adorei as tulipas. Obrigada amiga, fez feliz meus dia. Eu adoro flores.
      Desejo que a vida lhe sorri todos os dias com muitas flores, muitos sorrisos e muitas alegrias.
      Uma boa semana abençoada pra ti!
      Abraço apertadinho!
      Beijos...

      Excluir
    2. Um beijo minha amiga, Boa noite!

      Excluir
    3. Beijos, sorrisos, abraços e flores Glorinha.
      Boa noite minha amiga!
      Boa semana!

      Excluir
    4. Quando eu converso com minhas amigas italianas, na despedida elas me dizem "TVB ou TVTB" sabe o que é? Io ti voglio bene. Baci per te.

      Excluir
    5. "TVB ou TVTB" não sei o significado dessas siglas Glorinha.
      Continuação de semana amada!
      Io ti voglio bene. Baci per te.

      Excluir
    6. Oi Smareis, boa tarde querida!
      TVB ou TVTB significa: io ti voglio tanto bene ou eu gosto muito de você, eu adoro você, eu amo você. Minha amigas italianas falam assim comigo, por siglas, para facilitar a escrita. Beijinhos.

      Excluir
    7. Eu não sabia o significado das siglas TVB ou TVTB, mais sabia o que significava Io ti voglio bene e Baci per te. Depois que fui perceber que era a mesma coisa.
      Beijos para você!
      Bom fim de semana!

      Excluir
  41. Regresso de férias e venho aqui bem visível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enfim, vc esta de volta Pedro. Espero que tenha descansado e se divertido bastante!
      Abraço!

      Excluir
  42. ¡Hola Smarei!!!

    ¡Nos dejas un texto lleno de emociones y mil verdades! Gracias a Dios, esto no le sucede a todo el mundo, puesto que hay muchas familias que si quieren y respetan a sus mayores y les tienen la mejor habitación de la casa; mas si existe ese otro mundo de personas sin sentimientos ni escrúpulos, puesto que pasan total de quienes les ha dado tanto y se han sacrificado haciendo agrandes esfuerzos para que ellos tuvieran una vida mejor. Eso es lo que hacemos todos o la mayoría de los padres. Pero sabes, eso es palo que va dando, con la vara que mides, serás medido. El tiempo pone las cosas en su lugar. Mientras tanto, el sufrimiento de personas que sienten la indiferencia en los ojos de sus hijos y nietos, no hay quien se lo quite, es triste muy triste, pero es así. Ojalá fuera de de otra manera.

    Gracias Smareis, siempre nos dejas post lindos e interesantes.
    Un abrazo y mi gratitud por tu huella.

    Se muy feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Es muy triste la Marina ver tantos descasos con ancianos y niños. Desgraciadamente, miles de ancianos son abandonados por sus familias diariamente. Las personas mayores son llevadas a hogares, o porque sus hijos creen que son inútiles, o simplemente porque no pueden cuidar de ellos.
      La gente necesita dar a los ancianos lo que quieren recibir en el futuro. "Respeto, cariño, amor y afecto".
      Buena semana Marina
      Un abrazo

      Excluir
  43. Es realmente triste ver a los ancianos olvidados en residencias, como si fueran muebles abandonados. El ser humano es cruel con su propia especie, este mundo es realmente cruel y las personas nos olvidamos de los demás.
    Bonito post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. El ser humano es incluso cruel, abandonar su propia especie es revuelta.
      Los seres humanos que dicen ser racional tienen el insistente defecto de no valorar a las personas que lo amó de verdad, que creyó en su potencial, que darían la vida para verle feliz. Una triste realidad.
      Buena semana Pedro

      Excluir
  44. Olha , querida Smareis , primeiro a explicação possível pela minha ausência : ela se deve aí facto - e não só - de ter minha mãe em minha casa. Fácil ? Mas quem diz que foi fácil? Mas quando há Amor , sentimento inconsciente de dever , obrigação de filha porque filha já foi mãe , Amor de mãe que nunca acaba nas recordações semeadas em nós, como arrumar MÃE ? No passado mês , a minha partiu com mais de cem anos . Eu e minhas irmãs , demos TUDO, para que ela fosse a rainha da nossa casa, das nossas atenções . Se bem que por vezes o abatimento batesse a porta , não deixamos que se instalasse . Nem para os netos , nem para os genros foi invisível , quanto mais para as filhas ... Tudo está no coração e sensibidade de cada um .
    Como sempre , arrebatas com o que publicas ! O nosso abraço , querida amiga de sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Manuela, saudades minha querida!
      Achava que você ainda estava de férias. Passei por lá algumas vezes “Nos Sabores de Anjo Azul”. Ultimamente tenho estado bastante ausente dos blogs também.
      É muito bom ter a mãe por perto, embora não seja fácil cuidar de um idoso, eu bem sei como é trabalhoso, mais o amor supera qualquer sacrifício... Quem são pais, sabe que mais tarde irão ser idosos também. Os filhos precisam dar aos pais o que elas querem receber no futuro de seus filhos. Esse é um caminho que todos irão trilhar.
      Eu sinto muito pela perda de sua mãe, com toda certeza ela deve ter sido muito feliz ao lado de vocês. Uma grande rainha.
      Muito feliz com sua presença minha amiga.
      Desejo uma semana cheia de muitas bençãos.
      Um abraçado apertadinho, beijos e muitos sorrisos pra você.
      Passarei por lá pra ver as novidades.

      Excluir
  45. Querida Smareis, que lindo e real texto! Triste, mas um retrato perfeito do que se passa com os nossos idosos. Costumo dizer que, se quisermos que esta situação mude, temos de dar o exemplo; se os nossos filhos nos virem a tratar mal os nossos queridos mais velhos, com certeza farão o mesmo connosco. Li num comentário acima que os idosos devem acompanhar a evolução tecnológica, conversar dos assuntos dos netos, sair, dançar, etc, etc, mas... e quando a cabeça já não permitir sequer que conheçam os filhos ? E quando as pernas já não os levarem até à cama? Sempre digo aos meus filhos que, enquanto estiver lúcida, tratarei do meu conforto aqui em casa, mas , quando perder a lucidez que tenham a " bondade" de aproveitar o dinheirinho que eu tiver para me dar esse conforto; é isso que eles estao a ver, pois é isso que eu e o meu irmão fazemos com os nossos pais aí no Brasil. O pior, amiga, é que muitas vezes os filhos querem ficar com o dinheiro dos pais, dinheiro que eles pouparam toda a vida para a velhice e não lhes proporcionam o bem estar que eles merecem. É muito triste, mas é assim, infelizmente. Muito obrigada, querida amiga, por este " puxão de orelhas " a esta sociedade cada vez mais egoista. Um beijinho e um bom fim de semana
    Emilia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Emília, os exemplos tem que partir de casa. As pessoas muitas vezes não pensam que um dia talvez passem por determinada situação. Nossos atos são exemplos, os filhos são bons observadores.
      Lembrei-me de uma reflexão de grande ensinamento, “A tigela de Madeira”, é uma reflexão que fala sobre um frágil senhor de idade que foi morar com seu filho, nora e o netinho de quatro anos de idade. Suas mãos eram trêmulas, sua visão embaçada, e quando faziam as refeições faziam muitas sujeiras, derramava tudo na mesa, no chão, comia de boca aberta. Então, eles decidiram colocar uma pequena mesa num cantinho da cozinha. Ali, o avô comia sozinho enquanto o restante da família fazia as refeições à mesa, com satisfação. Desde que o velho quebrara um ou dois pratos, sua comida agora era servida numa tigela de madeira. Quando a família olhava para o avô sentado ali sozinho, às vezes ele tinha lágrimas em seus olhos. Mesmo assim, as únicas palavras que lhe diziam eram recriminações ásperas quando ele deixava um talher ou comida cair ao chão. O menino de quatro anos de idade assistia a tudo em silêncio. Uma noite, antes do jantar, o pai percebeu que o filho pequeno estava no chão, manuseando pedaços de madeira. Ele perguntou delicadamente à criança:
      - O que você está fazendo? O menino respondeu docemente:
      - Oh, estou fazendo uma tigela para você e mamãe comerem, quando eu crescer. O garoto de quatro anos de idade sorriu e voltou ao trabalho. Aquelas palavras tiveram um impacto tão grande nos pais que eles ficaram mudos. Então lágrimas começaram a escorrer de seus olhos. Embora ninguém tivesse falado nada, ambos sabiam o que precisava ser feito. Naquela noite o pai tomou o avô pelas mãos e gentilmente conduziu-o à mesa da família. Dali para frente e até o final de seus dias ele comeu todas as refeições com a família. E por alguma razão, o marido e a esposa não se importavam mais quando um garfo caía, leite era derramado ou a toalha da mesa sujava.

      Esta história é uma grande lição de vida, e nos faz lembrar de que pai e mãe idosos não têm mais as forças que os jovens têm. Mas eles possuem a experiência de vida e os filhos e netos, podem aprender muito com eles. Demonstrações de amor e respeito para com eles são sinais de gratidão e admiração por tudo o que fizeram e fazem ainda hoje. Esses sentimentos bons, não tem prazo de validade e também não saem de moda. O amor, o respeito, a gratidão valem a vida inteira e agindo dessa maneira, estamos fazendo valer o propósito de Deus que nos foi dado no quarto mandamento que diz que devemos honrar e respeitar pai e mãe. Isto significa não somente obedecer, mas, sobretudo, cuidar deles e manter sempre harmoniosa a relação entre pais, mães e filhos.

      Boa semana minha amiga!
      Um beijo!

      Excluir
  46. Não li o poema para evitar chorar.
    Mil filhos não são para uma mãe: tenho mais 2 irmãos, mas cuidei sozinha da minha.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns Madalena, um exemplo de amor, afeto e cuidado a ser ser seguido.
      Boa semana!
      Beijos...

      Excluir
  47. Smareis, tanto me impressionou a sua postagem, que abordei o assunto lá no oásis esta semana; e tomei, inclusive, a liberdade de citar o seu blog. Obrigado pela inspiração, amiga; e por levantar o tema. Boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, fico feliz que se inspirou no que leu por aqui Árabe. É muito importante refletir sobre esse tema.
      Uma boa parte da sociedade encara o envelhecimento como o desencadeamento de um problema, como uma decadência do ser humano, gerando os atos e manifestações de violência a esta faixa etária. Uma triste realidade, na qual a pessoa idosa presencia em seu dia a dia situações de violência e abandono, causados por seus familiares, e pela sociedade. Na maioria dos casos, o idoso encontra-se tão fragilizado e assustado, se omitindo frente as situações de violência que sofre.
      Realidade que fere.
      Obrigada por citar meu link.
      Boa semana!

      Excluir
  48. Muito dura a rejeição quando é injusta, sim.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Terrível com certeza!
      Continuação de boa semana São!
      Beijinhos...

      Excluir
  49. Mas tem coisa que só depende da gente mesmo que seja pouco;
    Dar um bom dia para todos mas principalmente para os idosos, perguntar
    algo; tentar puxar uma conversa... ajudar a embarcar nos coletivos;
    ir em casas de idosos conversar e aí por diante...
    Acho que quando uma humanidade fica que diariamente de cara nos celulares,
    nem conseguem perceber o que acontece a sua volta, hoje em dia a muita gente que só percebe algo a sua volta quando é assalto k, de resto naõ estão nem aí.
    Parece que há um problema em sentar na mesma mesa que o outro para almoçar, sentar no mesmo banco que alguém está sentado no parque... etc.
    Claro que os idosos precisam sim e muito e isto é um problema gravíssimo;
    mas não podemos deixar de olhar e perceber que algumas pessoas dentro da sociedade ainda são tratadas como pedras.
    Tive casos que fui atrás acionei o poder publico e briguei muito por algum tipo de escuta...
    Tudo é muito triste... mas
    Toda a palavra pede uma ação.
    Palavras de reflexão as suas.
    Bom começo de mês.
    janicce.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Janicce, muitas coisas poderiam ser diferente se cada um fizesse um pouquinho que seja, valeria a pena. Ser cordial, compreensivos com as pessoas, principalmente com as mais velhas, com certeza o universo seria muito melhor. Se um idoso é querido e amado pelas pessoas, certamente além de ser mais feliz, será menos teimoso, menos ranzinza e será mais cordial e compreensivo. Pessoas que conversam, que interagem com todo tipo de pessoa, são muito mais ricas, compreensivas e agradáveis. E, por serem tão generosas com o diferentes, sempre terão mais sucesso na vida, pois terão mais habilidades para resolver problemas e conflitos. Existem várias formas de demonstrar respeito, amor e carinho ao próximo. Já vi pessoas em lugares públicos, principalmente sala de espera, em coletivos, disfarçarem olhando celulares, lendo livro, revista, jornais só pra não ceder o lugar pra uma pessoa mais velha, ou até mesmo trocar algumas palavras. Embora existam lugares reservados pra pessoas com deficiências, mulheres grávidas, idosos, às vezes, os lugares ficam ocupados até por pessoas jovens, crianças etc. Quem é gentil circula bem em qualquer lugar.
      Adoro a modernidade, e sei que é difícil as pessoas viverem sem ela, mais a raça humana está se tornamos seres abstratos de um mundo real. Uma tecnologia que aproxima as pessoas distantes e distancia as que estão por perto.
      “(…) essa mídia que chamamos de social é qualquer coisa, mas quando abrimos os nossos computadores é nossas portas que fechamos”.
      Em um experimento na Inglaterra, mostraram um vídeo para um grupo de 200 alunos de uma universidade. O objetivo era descobrir se ele teria algum efeito na vida das pessoas... O resultado foi surpreendente. ESSE VÍDEO fez 80% das pessoas desligarem o celular pelo resto do dia.

      Continuação de boa semana!
      Um beijo!

      Excluir
  50. Conhecendo este texto recebido há dias, nunca é demais voltar a lê-lo.É de tal forma avassalador e punjente, que além da revolta por certas atitudes que ao ler noprovoca, é ao mesmo tempo uma tão triste realidade. Se o procuramos entender sob determinados ângulos, tropeçamos noutra esquina...Sabes que ainda estou sob o efeito da falta de uma presença. Mas jamais alguém , mesmo pequenino, se esqueceu que naquele lugar mora(va) alguém com muita sabedoria, impondo respeito. Assim é a nossa/minha sensibilidade. Por isso tenho o meu coração em paz!
    Obrigada, querida Smareis pelos teus maravilhosos postes...
    Beijinho! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Manuela, essa é uma realidade triste e difícil.
      Antigamente os velhos eram venerados e respeitados. Era natural que os membros da família tivessem que obedecer às ordens do mais velho, pois este era visto como sinônimo de sabedoria. Atualmente, os valores se inverteram, o velho é tratado com preconceito, a começar pelo termo, prefere-se chamar idoso. Mas qual a diferença entre ser velho e ser idoso?
      A velhice carrega consigo sinais de saberes, de alguém que já conheceu a beleza e assim soube viver...
      Beijos minha amiga!
      Bom fim de semana!

      Excluir
  51. Um texto muito profundo e emocionante.

    Infelizmente nesta vida tudo acontece

    e as pessoas são capazes do melhor e do

    pior.

    Gostei de ler e chorei.

    Um bjs.

    Irene Alves

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente Irene tudo pode acontecer...
      Bom fim de semana!
      Beijos...

      Excluir
  52. Maravilhoso e wzruszjący assunto eo conteúdo do post. Infelizmente, é doloroso e, infelizmente, porque as pessoas mais velhas são crianças esquecidas. Saudações.

    ResponderExcluir
  53. Boa semana, Smareis; aguardo o próximo post!

    ResponderExcluir
  54. Bom estar aqui...

    Aconteceu um probleminha com a lista de blogs que eu sigo, por isso estou seguindo de novo.

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  55. Smareis, boa tarde!

    É uma realidade triste. Sei de pessoas idosas que os netos entram em casa e sequer dirigem o olhar. Não faz muito tempo que eu conversei com um idoso que me disse querer ir para um asilo ou casa de repouso. Não entendi o motivo e ele me explicou: "É que lá pelo menos terei com quem falar e alguma atenção". Envelhecer nesta sociedade hedonista não é fácil; se a pessoa envelhece bem de saúde é uma coisa, mas coitada se ficar doente: é esquecida, evitada, isolada. Como se fosse um estorvo para os demais. É o que adoece, de fato, a estas pessoas idosas - sem falar nos "filhos" que abandonam pais em um asilo e nunca mais apareceram para uma visita ou interesse. (a não ser que o idoso tenha bens materiais, aí a coisa muda, embora uma "torcida mórbida" também seja acompanhada)

    Como será o futuro ao menos por aqui, não sei. A população brasileira envelhece e logo será a maioria - houve um tempo em que o Brasil era conhecido como "um país de jovens". Esta realidade em breve mudará. Continuaremos a ignorar os nossos idosos? (inclusive quanto a políticas públicas de acessibilidade e atenção geriátrica)

    Grande abraço, Smareis!

    ResponderExcluir
  56. Olá, Smareis

    Este é um tema actualíssimo precisamente porque a nossa sociedade, regra geral, não reserva aos idosos o lugar que eles merecem. Passam pela vida trabalhando, sacrificando-se, dando tudo para que os filhos tenham uma vida o mais risonha possível. Chegados à idade em que não conseguem tratar de si próprios são deixados em lares, tratados por estranhos, e muitas vezes mal vendo os seus familiares.

    É uma situação que devia ser encarada com seriedade e como uma missão por todos nós, seguindo os exemplos que nos trouxe dos países que respeitam os idosos, recorrendo a eles como pessoas que trazem consigo uma grande sabedoria.

    Muito obrigada, amiga.

    Bom fim de semana.

    Bj

    Olinda

    ResponderExcluir
  57. Boa semana, minha amiga. Aguardo o próximo post!

    ResponderExcluir
  58. Ainda muito encorujadinha, com este friozinho, agora com chuva, algum trabalho e saídas que me tomam o tempo, mas vim te dar um beijinho.
    Não vou entrar, deixo o beijo assoprado pela janela, mas pode me dar uma xícara de café e um breve papinho, porque a gente não pode ficar sem uma prosa.
    Pois é... beijinhos.

    ResponderExcluir
  59. A vida do idoso está cada vez mais difícil. Sinais do tempo! Ninguém tem tempo mas na hora da despedida sempre aparecem.
    Os lares que eu conheço, são como família de substituição, pelo menos não estão abandonados.
    Aqui a condição monetária também comanda a vida. Ainda bem que a minha família é unida, suficiente para não abandonar aqueles que amamos.
    Complicado este tema!
    Bjs

    ResponderExcluir
  60. toc , toc! rsrs Oi Smareis queridíssima!Postagem nova la´no blog vice!Estou demorando um pouco mais para postar, mas vamos que vamos! beijão e ótima semana!

    ResponderExcluir
  61. Aguardando o próximo post, venho desejar uma boa semana!

    ResponderExcluir
  62. Olá Smareis, boa tarde,
    sem duvidas, são dois textos maravilhosos,
    ambos têm excelente conteúdo, os dois nos levam a uma grande reflexão.

    Desejo-lhe uma linda semana
    um beijo grande

    ResponderExcluir
  63. Aguardando o próximo post, venho desejar uma boa semana!

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd



Nunca existiu uma pessoa como você antes, não existe ninguém neste mundo como você agora e nem nunca existirá. Veja só o respeito que a vida tem por você.
Você é uma obra de arte — impossível de repetir,
incomparável, absolutamente única. (Osho)

Links de propagandas e comentários anônimos, serão excluídos automaticamente, a não ser que se identifique com seu nome e endereço do blog/site.

Obrigada pelo seu comentário!
Thanks for the comment!
Gracias por tu comentario!
Merci pour le commentaire!